5.8.06

Erosão Onírica

As coisas só se revelam à consciência por meio da frustração que provocam . Heidegger

Gotas de realidade
Sobre meus sonhos
Se abateram tanto
Que fizeram trilhões de rombos
De maneira que não os reconheço mais.


Onde está a beleza de tudo?
O frescor? A luz?
Onde estão os poemas de amor e suas flores?
Tudo se foi.
Ficou tão-somente essa cor pálida, sem graça,
Da trapaça da vida sobre mim.

Mas se Heidegger estiver certo,
Resta enlutar-me
E (quem sabe?)
No fim dessa luta que é o luto -
Essa batalha entre o que é e o que desejo -
Possa eu aceitar como agradável o beijo
Da realidade sobre mim.

2 comentários:

Katheryne disse...

Querido Renato: era do através de mim, mudei o nome do blog.
Quanto ao poema, vc. vem junto com cecília Meireles quando em poema diz que "devemos aceitar a vida como nos vem". Fico pensando a diferença entre o aceitar tacitamente, e o que vem depois deste aceite, ou açoite??? não, beijos carinhosos kathy

Anônimo disse...

Quando essa nuvem cinza vai deixar meus olhos em paz?Me diz...eu sinto que vc sente como eu.Vc viveu o que eu vivi..Entaõ me diz cara..qdo???

 
web stats hits
web stats hits