5.9.07

Histórias para Infantes

(ao Danilo, meu filho, que me conta histórias como essas desde que nasceu, diariamente)

Onde está o mundo
Em que vivi na infância:
Histórias fantásticas de heróis
Saindo-se vencedores
Por serem íntegros,
Quase santos?

Outras deveriam ser as fábulas
A nos preparar a ser heróis:
Sem vitória,
Sem gala,
Sem nada.

As histórias infantis
Que imagino
Ensinariam
Ao menino e à menina
Viver a angústia do outro
(e a sua própria)
Sem a esperança
Do acalanto de aplausos
Ou da surra das vaias.

2 comentários:

Anônimo disse...

Por que nos servimos das fábulas? Por que nos perdemos em sonhos? Por que a realidade é este confronto entre o que nos é dado a sonhar e o que realmente sonhamos... Mas é preciso, é necessário, e, de certa maneira, é reparador a falta deste preparo para a dureza do mundo. A crueldade dos homens. A do destino. Tal como náufragos, ora levantando para respirar, entre uma onda e outra, ora não... Mas é o que faz parecer mais doces, os doces momentos da vida. Que existem e que pode comprovar quando acontece uma gargalhada do Dan ou em algum momento em que faz uma arte muito grande...! Ou nas piadas dos amigos. Ou no prazer de uma bela taça de vinho! Saúde!!!

Indianira disse...

Eu tenho saudade desse tempo pueril...

 
web stats hits
web stats hits